A ERA DA ICONOFAGIA

16 de novembro de 2015

Resumo: A pesquisa aborda o cotidiano dos agentes de segurança penitenciária, com o intuito de responder de que forma o ofício dos guardas prisionais (ambos os gêneros), nos presídios paulistas, afeta a sua saúde física e psíquica e interfere no cotidiano profissional e pessoal. O quanto o estresse diário, a insegurança e a indiferença do Estado provocam ou geram doenças nesses profissionais. Por meio de entrevistas, produziu-se um livro-reportagem a partir dos relatos desses trabalhadores, que são os interlocutores entre o mundo de dentro e o de fora das grades. Além destes, foram entrevistados familiares dos agentes e jornalistas experientes na área, procurando abordar de forma ampla o tema. Observou-se que a realidade desses servidores públicos deve ser vista pela sociedade, seja no aspecto dos direitos humanos, seja na falta de assistência fornecida pelo governo à estrutura das cadeias e a esses trabalhadores que atuam no contexto do sistema prisional, frente a frente com os presidiários.

Leia mais.

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook