Redes digitais e significados da crise do Ocidente

Autores

  • Massimo di Felice

DOI:

https://doi.org/10.31657/rcp.v1i1.14

Resumo

Entrevista com Prof. Dr. Massimo di Felice ECA/USP*Realizada por Marcella SchneiderNanotecnologia, tecnologias de geolocalização, biotecnologias, redes sociais, netativismo, crise ambiental são fatos da nossa realidade que apresentam um cenário bastante diferente daquele moderno sobre o qual foram estabelecidas as principais diretrizes de análise da sociedade. A partir de definições, categorias, organizamos, hierarquizamos as relações humanas, do ponto de vista do homem, sujeito inteligente, consciente, responsável pelo destino e progresso social. Conceitos como humano, tecnologia, sociedade, ética, foram estabelecidos de maneira rígida para que pudéssemos progredir, evoluir. 

Biografia do Autor

Massimo di Felice

O Prof. Dr. Massimo di Felice é graduado em sociologia pela Università degli Studi La Sapienza, doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo USP e tem pós-doutorado em Sociologia pela Universidade Paris Descartes V, Sorbonne. Atualmente leciona na USP e é professor visitante na Libera Università di Lingue e Comunicazione IULM de Milão e professor convidado na Universidade Nacional de Córdoba Argentina, Universidade de Roma III, Universidade Lusofona do Porto, Fundou o Centro de Pesquisa Internacional Atopos (ECA-USP) que estuda as redes digitais, é autor de livros e artigos publicados em diversos países entre eles: Paisagens pós-urbanas o fim da experiência urbana e as formas comunicativas do habitar, traduzido e publicado em vários idiomas; Redes digitais e sustentabilidade as interações com o meio ambiente na era das informações, Do público para as redes a comunicação digital e as novas formas de participação social e está para lançar na Itália o livro: Net-ativismo das ecologias comunicativas da democracia para as redes ecológicas digitais transorgânicas.

Downloads

Publicado

16/01/2017

Como Citar

Felice, M. di. (2017). Redes digitais e significados da crise do Ocidente. PAULUS: Revista De Comunicação Da FAPCOM, 1(1), pag. 125–142. https://doi.org/10.31657/rcp.v1i1.14