PERFORMATIVIDADE DE GÊNERO: Judith Butler e uma crítica à alguns conceitos desenvolvidos pelas teorias feministas tradicionais

27 de abril de 2018

RESUMO: Este artigo busca verificar o papel exercido pelo conceito de performatividade na desconstrução proposta por Judith Butler da ideia de gênero sustentada pelas teorias feministas tradicionais. A tese de Butler é que o gênero é performativo. Com isto, ela pretende afirmar que o gênero é constituído como uma sequência de atos cuja coerência é estabelecida no interior de uma rígida estrutura reguladora, que também lhe garante uma continuidade. Pretendemos percorrer o caminho que Butler fez, dentro de sua teoria, para tornar possível esta crítica por ela desenvolvida contra a substancialidade do conceito de gênero que decorre da distinção sexo/gênero.

Twitter
Instagram
Facebook