Sapatos “só para meninos”

24 de Março de 2015

Por Juliana Oliveira


FILOSOFIA

Pode parecer estranho, mas ainda há um determinado preconceito com os gostos que podemos ter. Muitas vezes, esses podem ser influenciados pela criação que recebemos, como também, pelo meio em que convivemos. “Porque não posso gostar de tal coisa, só porque é de menino?”, ou vise-versa.

Meninas devem gostar somente de princesas, e meninos de super-heróis. Aliás, meninas gostam mais de poodles, e meninos (claro) preferem os dinossauros. Esquisito, não? Assim como o famoso Ross Geller, paleontólogo, da série F.R.I.E.N.D.S, uma garotinha de 8 anos também ama dinossauros e foi discriminada por isso.

Sophia Trow pediu à sua mãe, Jane, que fosse até a loja de departamento Clarks para que ela lhe comprasse um tênis da linha Stompasaurus.

sophia-dinossauros3Mesmo com o número disponível na loja, e sendo muito fã de dinossauros, foi impedida de comprar o modelo pela vendedora que considerou que a linha de tênis era apenas para meninos. Ela também disse que esse tipo de calçado não foi feito para a “estrutura óssea feminina”.

É claro que a garotinha não ficou satisfeita com as desculpas da vendedora. Em uma atitude corajosa para a sua idade, Sophia decidiu escrever uma carta à Clarks, falando sobre o que aconteceu e afirmando que garotas também podem e gostam de dinossauros.

 “Prezada Clarks, 

Minha mãe me levou para comprar novos tênis para a escola e eu vi que existem tênis de dinossauros para meninos. Por que meninas não podem usar tênis de dinossauros? Eu não gosto como as meninas usam sapatos de florzinhas. Eu gosto de dinossauros e de fósseis, então eu acho que outras meninas também podem gostar”.

Sua mãe enviou a carta à loja, e defendeu seu ponto de vista, abraçando a causa no Twitter. Em um dos tweets, disse: Eu quero que minhas crianças tenham opções. Eu não quero que elas sejam limitadas por expectativas que as dizem como se comportar como meninas – eu quero que elas possam fazer o que quiserem e se transformar em mulheres fortes“.

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook