Os problemas de se trabalhar com o anonimato na Internet

4 de outubro de 2014

secret-poster-1 - Copia

O senso comum nos leva a pensar que as pessoas só querem se manter anônimas para praticar bullying ou fazer coisas erradas, que é um refúgio para covardes que não tem coragem de sustentar suas opiniões. Essa é uma visão possível, mas que ignora muitas outras e pode ser genérica demais.

Uma pesquisa publicada recentemente, feita pelo Ibope e a Telefônica, revelou que 49% dos jovens brasileiros têm receio de expressar opinião nas redes sociais por medo de sofrer bullying e que 47% dos jovens se preocupam com privacidade e a segurança de dados na web. Esses dados, além do caso do aplicativo “Secret”, retomaram o debate sobre a questão do anonimato na internet.

A possibilidade de criar conteúdo na web anonimamente traz a garantia da livre expressão e de combate à censura e ao controle dos dados e navegação, um problema que ficou evidenciado com o caso de Edward Snowden. Para Bruno Magrani, professor do Centro de Tecnologia e Sociedade da FGV e Mestre pela universidade de Harvard, “O anonimato é fundamental para a democracia, ele garante a liberdade de se expressar livremente, sem o medo da perseguição ou bullying. Não é por acaso, que governos autoritários são os principais críticos do anonimato”.

Em tempos em que tudo é tão exposto, vigiado e documentado, o anonimato deixa de ser apenas um direito e passa a ser uma necessidade, em alguns casos. O que você acha desse assunto? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook