O mercado para o profissional de Relações Públicas

11 de Maio de 2015

Por Mariana Polli


rp

A princípio, todos nós sofremos com a falta de valorização de nossa profissão, ou melhor, do reconhecimento e da importância das funções de relações públicas em cada organização. Sermos comparados com jornalistas, publicitários ou afins é um tanto comum e errado. Nós sabemos que cada área possui as suas particularidades, e com as Relações Públicas não é diferente. Como os nossos professores nos explicam, somos os únicos a estudar e a entender cada público.

Pensando no amanhã, buscamos a qualquer modo, estarmos inseridos no mercado de trabalho de acordo com as devidas atividades específicas para a área. Pois bem, isto significa trabalhar colocando em prática tudo o que nos foi dado durante a graduação e claro, receber um salário expressivo.

De acordo com uma pesquisa realizada entre maio e junho de 2014 pelo RP Samyr Paz, em que foram analisadas 420 respostas de estudantes e profissionais da área, pode-se concluir que mais de 45% da amostra corresponde a jovens, sendo as mulheres, com 78% a maioria em empresas privadas.

É interessante ressaltar que a média dos salários equivale entre uma e duas remunerações, sendo 35% dos profissionais. Já rendimentos maiores que dez salários mínimos equiparam-se a somente 3% dos capacitados, sabendo que o auge atinge-se, normalmente, após 15 anos de carreira. Sem contar que 80% não possuem registro no CONRERP e mais de 40% já pensaram em mudar de profissão por estes vários fatores.

De fato, a nossa área é nova. São apenas 100 anos disputando espaço com outras milhares no campo da comunicação. Persistir em algo que não tenha muito reconhecimento é difícil. Entretanto, provarmos a nossa existência por meio de fóruns, congressos, conferências e outros eventos são algumas opções para fortalecermos as Relações Públicas. E sem dúvidas, comprovar que só nós, por meio de ferramentas específicas, conseguimos captar, entender e interagir a importância e a singularidade de cada público.

Diante de tantas crises que estamos vivendo, destacar-se no mercado é ideal para que atinjamos nossos objetivos. Logo, fluência em mais de duas línguas estrangeiras, cursos característicos da área, e ainda desenvolver uma visão abrangente da profissão referente a conhecimentos administrativos, negócios e consumidor são o caminho para que possamos trilhar e consolidar a nossa imagem profissional.

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook