Jornalistas e a procura pelo trabalho com comunicação interna

2 de agosto de 2014

social-media-speaking-tube-concept-vector_23-2147494404.png_maior

Com a profissão mais competitiva, pelo aumento de pessoas buscando oportunidades na área, jornalistas estão saindo das tradicionais redações e migrando para empresas, para as áreas de comunicação interna e assessoria de imprensa, e alguns dos motivos desse movimento acontecer, o blog da FAPCOM vai explicar.

Apesar de muitos profissionais da área não considerarem “trabalho jornalístico”, a principal razão dessa mudança no mercado foi o aumento da preocupação das empresas com sua imagem interna e externa. A origem disso vem com o crescimento das redes sociais, devido à facilidade de circular uma crítica negativa ou um vazamento de informações por má comunicação. Segundo dados da Empresa Deliotte, cerca de 70% das organizações estão presentes nas mídias sociais.

Outro motivo é o salário. Em uma estimativa feita pelo FENAJ (Federação Nacional dos Jornalistas), o salário médio de um jornalista em uma redação é de pouco mais de R$2000,00 e o de um profissional da área de comunicação interna é por volta de R$2300,00. Com aproximadamente 300 reais de diferença salarial, já é possível estimar algumas das vantagens de se trabalhar nessa área.

“Mas o que faz exatamente alguém nessa área?” O profissional focado em comunicação interna deve desenvolver estratégias de integração e desenvolvimento relacional entre os líderes da empresa, clientes e funcionários. Por outro lado, o profissional de assessoria de imprensa deve posicionar a empresa para com a mídia e com os públicos externos. Não são trabalhos fáceis, mas são de extrema importância para uma comunicação coesa de uma organização.

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook