Obra de Comunicação da Editora PAULUS conquista Prêmio Jabuti

18 de outubro de 2013

História do Jornalismo – Itinerário crítico, mosaico contextualA obra História do Jornalismo – Itinerário crítico, mosaico contextual, da PAULUS (mantenedora da FAPCOM), de José Marques de Melo, jornalista, escritor e professor, foi vencedora no Prêmio Jabuti na categoria Comunicação. Nesta última quinta-feira (17), a Câmara Brasileira do Livro (CBL) anunciou os vencedores das 27 categorias da 55ª edição de um dos prêmios literários mais importantes do país.

A obra conquistou primeiro lugar na categoria Comunicação, deixando em segundo e terceiro lugar as obras História da imprensa paulista: jornalismo e poder de D. Pedro I a Dilma, de Oscar Pilagallo, editora Três Estrelas e A notícia como fábula: realidade e ficção se confundem na mídia, de Renato Modernell, editora Mackenzie e Summus Editorial.

Este trabalho trata sobre a disciplina “História do Jornalismo”, a qual procura situar os futuros praticantes do ofício diante dos acontecimentos que marcaram o desenvolvimento das rotinas de produção, estimulando as novas gerações a registrarem com fidedignidade os fatos de interesse público, contextualizando-os no tempo e no espaço.

“É a primeira vez que ganho o Prêmio Jabuti e sou muito grato à editora PAULUS, que acreditou no meu trabalho e inscreveu a minha obra para concorrer a este prêmio tão importante. Este livro é resultado de vários anos de trabalho sobre a história do Jornalismo, da Comunicação”, relata o autor.

Na próxima semana, de 25 de outubro a 03 de novembro, o autor estará presente no stand da PAULUS, na VI Bienal Internacional do Livro de Alagoas, para promover a obra vencedora do Prêmio Jabuti História do Jornalismo – Itinerário crítico, mosaico contextual. O evento tem como sede o Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, localizado no bairro de Jaraguá, em Alagoas. Na feira, o stand da PAULUS é o 131.

Acesse mais informações sobre o livro no site da Editora PAULUS.
Prêmio Jabuti

A história do Prêmio Jabuti começa por volta de 1958, em um período repleto de desafios para o mercado editorial, com recursos escassos e baixa articulação do segmento. Apesar das adversidades, não faltava entusiasmo aos dirigentes da Câmara Brasileira do Livro naquela época. As discussões foram comandadas pelo então presidente da entidade, Edgar Cavalheiro e pelo secretário Mário da Silva Brito – dois intelectuais e estudiosos da literatura brasileira –, além de outros membros da diretoria do biênio 1955-1957 interessados em premiar autores, editores, ilustradores, gráficos e livreiros que mais se destacassem a cada ano.

Essas discussões em torno de uma “láurea” ou “galardão”, como se dizia na época, ganharam forma na diretoria seguinte, de 1957-1959, presidida por Diaulas Riedel, a quem coube a confirmação da escolha da figura do jabuti para nomear o prêmio e a realização de concurso para a confecção da estatueta, vencido pelo escultor Bernardo Cid de Souza Pinto.

A primeira premiação ocorreu também na gestão do presidente Diaulas Riedel. No final do ano de 1959, em solenidade simples e despretensiosa realizada no auditório da antiga sede da CBL na avenida Ipiranga, foi feita a entrega do primeiro Prêmio Jabuti. Foram laureados autores como Jorge Amado, na categoria Romance, pela obra “Gabriela, Cravo e Canela”. A Saraiva ganhou o prêmio de Editor do Ano.

Conheça a lista dos vencedores do Prêmio Jabuti 2013, neste link.

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook