Estresse – fator de alerta e estímulo para o estudante

7 de julho de 2014

Profa. Dra. Cleusa Sakamoto
Projeto de Apoio Psicopedagógico ao Discente da FAPCOM

shutterstock_67536898

O estresse é um conceito emprestado da Física e se refere às alterações sofridas por um material exposto à tensão; foi definido em 1965 por Hans Selye que era endocrinologista e o relacionou à Medicina para explicar o esforço de adaptação de um organismo frente a situações que representam ameaça à vida ou ao equilíbrio interno. Caracterizado como Síndrome de Adaptação Geral é descrito a partir de três fases: Reação de Alarme, Fase de Resistência e Fase de Exaustão (SELYE, 1965).

O estresse pode ser detectado como Reação de Alarme quando a pessoa se vê diante de fatores (físicos, químicos, psicológicos ou sociais) que a desequilibrem interiormente, como por exemplo: poluição, altos impostos, perda de um ente querido, acidente pessoal etc. Se o fator estressor persistir ou a pessoa não encontrar uma maneira de recuperar seu equilíbrio, poderá enfrentar uma situação de progressão da ameaça da adaptação e passar para a Fase de Resistência ao estresse.

A Fase de Resistência ao estresse como o próprio nome sugere é um período em que o organismo se esforça para enfrentar a adversidade buscando resistir a dificuldades envolvidas: mal estar, dor, ansiedade, pesar, cansaço, insônia, entre outras. Nesta etapa de enfrentamento do estresse pode haver consequências como maior vulnerabilidade a infecções, lapsos de memória e outros sintomas de desgaste físico e emocional.

Com a manutenção dos elementos estressores a pessoa entra na Fase de Exaustão que é caracterizada por inúmeros sinais da Síndrome de Adaptação e que denotam a possibilidade de instalação de inúmeras doenças físicas e psicológicas. O estresse não é considerado uma patologia, mas uma reação frente a uma situação de ameaça ao bem estar que pode desencadear distúrbios, o que o identifica como importante elemento desencadeante de disfunções e situações patológicas. O estresse pode ser entendido como um alerta à manutenção da saúde.

O estresse pode também se configurar para a pessoa como um desafio, como uma situação que estimula a busca de mudanças e melhores soluções para as condições de vida ou circunstâncias vividas, seja na família, no trabalho ou nas relações interpessoais, por exemplo. Neste caso, o estresse será uma força propulsora para a transformação da situação enfrentada que eleva o grau de adaptação da pessoa, torna-a mais preparada a enfrentar tensão e dificuldades.

Estudar é uma situação que naturalmente envolve constante estresse pois significa colocar em evidência, dúvidas e dificuldades que representam intranquilidade momentânea, para quem aprende. Porém, esta situação em aberto e de mudança permanente pode ser compreendida como estimulante, como motivo de desenvolvimento e realização pessoal. De toda forma, estudar requer esforço e dedicação que muitas vezes se traduz em momentos de grande desgaste, de cansaço físico e mental. Por esta característica, o processo de aprendizagem deve levar em consideração alguns cuidados que podem colaborar com a obtenção dos ganhos, por exemplo o do autoconhecimento que ocorre em paralelo à qualificação profissional.

Todo estudante pode auxiliar o seu processo de estudo com atenção a seus limites e com o uso de autodisciplina. Toda aprendizagem necessita de ordem e planejamento para seu sucesso. É importante estabelecer horários, metas e ter presente os compromissos como provas, trabalhos e outras tarefas envolvidas nas matérias estudadas. Todo bom desempenho depende do esforço que é realizado e dirigido a objetivos claros e realizados mediante planos. Improvisação pode ajudar quando o estudo sistemático foi realizado, já que não existe improvisação apoiada no vazio.

O estresse nas situações de aprendizagem geralmente não está unicamente associado à quantidade de esforço destinado ao estudo, mas relacionado ao conjunto da situação que envolve mal planejamento, falta de visão ou organização, insegurança e outros fatores que somados ao desgaste do estudo destroem a possibilidade de obter bons resultados.

Desenvolver estratégias para lidar com o estresse do estudo é uma ótima saída para minimizar problemas na aprendizagem, além de auxiliar o alcance de resultados positivos!

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook