O jornalismo esportivo no Brasil: uma gama de oportunidades

10 de junho de 2013

jornalismo-esportivo

Grandes eventos esportivos abrem portas para a Comunicação no ramo esportivo

Com a realização da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, o Brasil tornou-se o centro das atenções no mundo esportivo. Obras e ajustes são realizados para receber turistas e profissionais do mundo inteiro neste período de grandes eventos. Com esta movimentação, também surgem oportunidades para jornalistas esportivos.

A cobertura televisiva é o sonho de muitos jornalistas, que têm exemplos como Galvão Bueno, narrador que acompanha a Seleção Brasileira desde os anos 80; Luciano do Valle, que também é referência no assunto; e Milton Leite, que pertence a uma nova safra. Atuar como comentarista nas partidas, em programas esportivos ou como repórter, também são opções para participar das transmissões esportivas na TV.

No rádio, a estrutura não é muito diferente. Narradores como José Silvério, Nilson César e Oscar Ulisses, irmão do lendário Osmar Santos, levam a emoção aos espectadores, com comentários de profissionais competentes e apoio de repórteres especializados. Periódicos esportivos possuem um grande espaço para jornalistas, tanto online como em jornais impressos: colunas especializadas para cada equipe (na Copa do Mundo são 32 times), sessões especiais sobre cada esporte, entrevistas, organização de tabelas, entre outros.

Para alcançar uma oportunidade de cobrir um destes eventos, o recomendado é manter-se atualizado com o que acontece no mundo esportivo. Pesquisar sobre atletas, agremiações e tendências pode fazê-lo um profissional mais preparado para entrevistas de emprego e outras oportunidades na área.

 

 

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook