A edição em programas de TV

15 de abril de 2014

edicion-blog

O processo de preparação de uma matéria televisiva é árduo, como já apresentamos no Blog FAPCOM. Dentre os elementos fundamentais para a veiculação do material, um deles é o editor de vídeo, que é responsável por fazer os ajustes para as imagens, afinal elas não são gravadas em sequência – são realizadas diversas cenas e tomadas, às vezes em diferentes ângulos.

Após a preparação do material através deste processo, o profissional de edição recebe tudo e tem a tarefa de organizá-lo através da sequência desejada, priorizando também fatores como a qualidade de áudio e vídeo e, se necessário, realizando ajustes. Além da escolha das melhores cenas e do estabelecimento da ordem, o editor também insere efeitos especiais, trilhas sonoras e legendas.

A edição pode ocorrer de forma linear ou não, sendo que a segunda é mais comum em tempos atuais. Na linear, a edição era feita baseada em reprodutores e gravadores, com imagens captadas em fitas de vídeo, sem alguns recursos, como o de “empurrar” algo já gravado. Já na não linear, o processo é feito de forma digitalizado, abrindo um maior leque de possibilidades.

Em entrevistas, por exemplo, há situações em que o tempo curto exige que a apresentação seja feita de forma mais sucinta. Assim, é feito um processo de corte nas imagens e nas falas, a fim de sintetizar o que o entrevistado traz de informações. É realizado também um jogo de imagens para que esses cortes não reflitam no material final.

Alguns dos programas mais utilizados no processo são o Vegas Pro, o Adobe Premiere Pro e o Wondershare Video Editor. O Windows Movie Maker também é uma boa opção para trabalhos mais simples.

Conhece alguma história interessante sobre edição de vídeo ou tem alguma dúvida com relação ao assunto? Escreva nos comentários!

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook