Como as marcas usam os memes da Internet

11 de outubro de 2014

maxresdefault - Copia

Algumas empresas investem milhões em comunicação para tentar viralizar. E outras simplesmente dão sorte. Porém, casos com os da marca Friboi, onde esses dois elementos estão reunidos, são cases de enorme sucesso e que devem ser estudados.

A Friboi é uma marca da JBS S.A., a maior organização de produtos de base animal do mundo – a empresa cresceu quase 20 vezes em 7 anos. As ações da JBS estavam em baixa, sendo mais conhecida no exterior do que no Brasil, seu país de origem. Foi quando, no começo de 2014, a empresa resolveu investir na marca Friboi, para tentar reestabelecer seu espaço no mercado, contratando Tony Ramos, que se tornou garoto propaganda da marca com o bordão: “Mas a carne é Friboi?”.

A ideia original era destinar a mensagem para quem ativamente compra o produto, como mães de família, aquelas que vão até o ponto de venda, pela representação da mulher nas propagandas da marca. Porém, muito além disso, o bordão e o carisma de Tony Ramos movimentaram as redes sociais, engajando pessoas de todas as idades, principalmente os jovens. Essa repercussão deu origem aos mais diversos e engraçados “memes”, com a imagem do artista ou os dois.

1800319_634389766608506_265277591_n[1]

image

 

Depois de toda a repercussão, a agência responsável pela Friboi, a Lew’Lara\TBWA, criou um app com memes do Tony Ramos. Uma repercussão dessas, por mais que tenha um tema jocoso, é ótima para uma marca, porque a base de uma boa comunicação está na relevância que ela tem com seu público.

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook