Como as empresas usam as informações de redes sociais para aprimorar os seus produtos

6 de janeiro de 2015

mobilidade-e-redes-sociais

 

Assim que o Chevrolet Trax sair das concessionárias dos EUA agora em janeiro, os motoristas vão poder comentar no Facebook, Twitter e em blogs automotivos tudo o que estão achando da experiência com o carro direto do painel, com um ponto de WiFi embutido.

“Estamos ficando mais precisos”, disse Whitney Drake, líder de monitoramento de mídias sociais da GM. “Estamos conseguindo resolver problemas com muito mais rapidez e precisão do que se esperássemos pelos resultados de uma pesquisa, por exemplo.”

A Chevrolet, assim como inúmeras outras marcas, vão se manter de olho em reclamações e sugestões de seus clientes nas redes sociais  – além de, é claro, tentar mantê-los mandando feedbacks.

Se de um lado, os consumidores estão cada vez mais inclinados a compartilhar nas redes sociais suas insatisfações com marcas e produtos, as próprias marcas estão indo atrás destas insatisfações não simplesmente para respondê-las, mas sim para corrigi-las e, a partir daí, aprimorar seus produtos.

É uma tendência que as marcas comecem a explorar as opiniões de seus clientes na internet, levando ao pé da letra a velha história da “crítica construtiva”.

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook