Técnicas da direção de arte e da cenografia

11 de setembro de 2015

Por John Monteiro, Fernanda Lelles, Elaine Oliveira e Wanderson Alves


Oficina ministrada pelo cenógrafo da TV Cultura, Júlio César de Souza, abordou conhecimento e nostalgia, no estúdio de televisão da FAPCOM


Em um recipiente com água, o instrutor joga várias tintas de cores diversas e, então, pede aos espectadores que cortem folhas de sulfite A4 em quatro partes e, cada um, com o seu quarto de folha coloca-a na superfície da água. Aos poucos, a água pinta os pedaços de papel, e, ao ver o resultado, os estudantes começam a exclamar: “Nossa! Este aí parece um Salvador Dali!”, “Este, com um Picasso!”, “Aquele ali valeria milhões!”, e na admiração da mistura de tintas e com imaginação ocorreu a oficina de “Direção de Arte e Cenografia Para TV”  ministrada pelo cenógrafo da TV Cultura, Júlio César de Souza, no estúdio de televisão da Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação (Fapcom), durante a II Semana de Comunicação promovida em agosto pela instituição.

O profissional, que trabalhou em vários programas infantis memoráveis da TV Cultura, como o Castelo Rá-Tim-Bum, explicou que é preciso manter o “espírito de criança” na profissão, pois em vários momentos é necessário ter a perspectiva infantil para planejar cenários lúdicos para os pequenos. “Como as crianças pensam? Como elas pintam um desenho?”. Com questionamentos desse tipo, Júlio César convidou os alunos a pensarem nessa visão, concluindo que muitos pequeninos não têm noção de simetria, de proporção, profundidade, gostam de desenhos coloridos, não começam a desenhar e pintar pelo centro da folha. Aspectos que os adultos não costumam ter, porque tendem a fazer as coisas de maneira mais racional.

“Às vezes, o senhor ‘italianão’ na esquina de casa vai se tornar a ideia de um personagem no programa. Então, ao invés de ficar pesquisando na internet, para montar um personagem, é muito melhor você observar as pessoas que estão ao seu redor. É melhor sair e ir lá conversar com aquele italiano”, explica Júlio César, quando fala da criação e ambientação para personagens. Algumas técnicas de cenografia, expostas na oficina, baseiam-se muito nas artes plásticas, como o processo de transformar objetos usados em cena em outros totalmente diferentes, usando a pintura ou materiais diferentes.

Memórias de criança

A cada slide, que mostrava uma foto de uma cena ou personagem de um programa infantil da TV Cultura, o instrutor questionava, “Lembram-se desse aqui?”, “E esse cara, reconhecem?”. Muitos estudantes, hoje já adultos, lembravam-se de momentos da infância, que convergiam com o que viam. O Castelo Rá-Tim-Bum, a abertura do Programa Rá-Tim-Bum, o Alípio, o cavalo do programa Cocoricó e outros personagens faziam vir à mente os tempos em que a preocupação não era se formar em uma faculdade e encontrar um trabalho na área, mas somente chegar da escola a tempo de assistir ao programa favorito.

O profissional trabalhou, além dos programas infantis, em outras atrações da TV Cultura, como o “Cartão Verde” (programa sobre futebol) e o “Provocações” (programa de entrevista com o, já falecido, diretor e ator Antônio Abujamra), mas o que marcou foram as fotos de programas infantis, que todos ali acompanharam. Ouviam-se as reações de lembranças. “Vocês devem ser geração Rá-Tim-Bum, Castelo (Rá-Tim-Bum), Cocoricó, e ele (o instrutor da oficina, Júlio César) é simplesmente um dos artistas mais importantes da TV (Cultura)”, enfatiza a Coordenadora Geral da TV Rá Tim Bum, Ida Iervese, que daria uma palestra para a turma depois da oficina.

Cenografia

Cenografia é a arte de compor um cenário, os personagens, trabalhar com as cores que serão vistas pelo telespectador. É uma parte importante do espetáculo, que dá vida ao ambiente. O tema conversa muito com o curso de Rádio, TV e Internet, porém a oficina foi aberta a estudantes de qualquer curso. “Estou muito feliz porque a oficina geralmente tem de ser um pouco menor, mas a gente não colocou limites, acho que é bacana. A maioria aqui é de RTVi, tem o pessoal da manhã e da noite”, explicou a coordenadora do Curso de Rádio, TV e Internet da FAPCOM, Márcia Carvalho, enquanto abria o evento.

Aluna participa de oficina de cenografia no estúdio de Televisão da Fapcom

Aluna participa de oficina de cenografia no estúdio de Televisão da Fapcom

Alunos participam da atividade da oficina de conegrafia e direção de arte

Alunos participam da atividade da oficina de conegrafia e direção de arte

Bagunça na oficina de cenografia e direção de arte

Bagunça na oficina de cenografia e direção de arte

Construção de uma das cenas inicias do programa infantil Castelo-Rá-Tim-Bum

Construção de uma das cenas inicias do programa infantil Castelo-Rá-Tim-Bum

Júlio César exibe atividade para especatdores da oficina

Júlio César exibe atividade para especatdores da oficina

Júlio César mostra miniaturas de objetos feitos para cenários

Júlio César mostra miniaturas de objetos feitos para cenários

Júlio César pinta os retratos, que ficavam expostos no cenário do programa Provocações, da TV Cultura

Júlio César pinta os retratos, que ficavam expostos no cenário do programa Provocações, da TV Cultura

Júlio César prepara o cenário da Ópera Salomé, no Teatro Municipal

Júlio César prepara o cenário da Ópera Salomé, no Teatro Municipal

Júlio César prepra atividade para oficina de cenografia

Júlio César prepra atividade para oficina de cenografia

Júlio César, cenógrafo da TV Cultura, pinta cenário

Júlio César, cenógrafo da TV Cultura, pinta cenário

Miniatura de dinossauro usada na cenografia da TV Cultura

Miniatura de dinossauro usada na cenografia da TV Cultura

Oficina de cenografia e direção de arte aconteceu na Semana de Comunicação da Fapcom, no estúdio de televisão da faculdade

Oficina de cenografia e direção de arte aconteceu na Semana de Comunicação da Fapcom, no estúdio de televisão da faculdade

Resultado das pinturas dos espectadores

Resultado das pinturas dos espectadores

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook