Desafios no jornalismo cultural

22 de setembro de 2015

Confira dicas do jornalista Luciano Guaraldo, do caderno Viva do Jornal Diário de SP, sobre o dia a dia da cobertura no caderno de cultura


Por Alexandre Correia, aluno de Jornalismo


A oportunidade de conversar com o jornalista Luciano Guaraldo, do caderno Viva do Jornal Diário de SP, durante a disciplina Jornalismo Cultural, foi uma maneira de quebrar tabus e realmente entender o que significa ser um jornalista cultural. O bate-papo também serviu para destacar os desafios de escrever sobre cultura, ainda mais em um jornal popular como o que ele atua. “É fácil falar e escrever sobre aquilo que gostamos, mas o verdadeiro jornalista cultural é aquele que escreve e informa seu público sobre qualquer tipo de manifestação cultural, sem preconceito e de maneira imparcial”, ressalta.

live-report_23-2147510834

O jornalismo cultural não deve ser visto, seja pelo jornalista ou pelo público, como uma forma de medir o intelecto. Não importa os gostos, o conhecimento é necessário e muito importante para a prática jornalística, já que vai determinar a qualidade editorial.

De acordo com Luciano, tem que ter jogo de cintura e evitar que preferências pessoais falem mais alto. E ainda destaca:

• Escreva sobre todo tipo de expressão cultural (mesmo que não goste de novela, não curta sertanejo);

• Tente ser imparcial, ter o comprimisso de informar seu público e deixar que este decida sobre qual cultura o torna mais culto ou não;

• Reconheça que a aceitação do público é um termômetro essencial para pautar ou influenciar o noticiário cultural;

• Vão sempre existir leitores, para todo tipo de cultura;

• Saiba reconhecer que, muitas vezes, o apelo comercial movimenta o mercado da comunicação e mundo cultural e tente se adaptar a esta demanda.

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook