A magia do cinema

13 de agosto de 2015

Por Lucas Fernandes


O cinema é, desde seus primórdios, a reprodução da realidade intrinsecamente teatral. Para além, através das lentes, é possível ultrapassar essas barreiras, criar universos paralelos e, principalmente, entreter pela imaginação. Os efeitos especiais são os grandes responsáveis pelo grande sucesso dessa mídia, pois assim como nós, eles possuem uma linguagem própria, quase esquizofrênica.

Georges Méliès (1861-1938), cineasta francês, foi pioneiro a utilizar suas habilidades de mágico para criar efeitos cinematográficos, chamando a técnica de stop-action. Em seu filme, “O homem da cabeça de borracha”, de 1901, ele manipula os elementos da cena por meio da perspectiva e distância para dar a sensação de grandeza a objetos.

Cabeca_Borracha1

Méliès também foi conhecido pela técnica de pintura manual dos filmes fotográficos, e seus cenários lúdicos. Seu filme mais conhecido é o “Viagem à Lua”, de 1902, inspirado no livro “Da Terra à Lua”, de Julio Verne, publicado em 1865. Com um cenário mítico e repleto de sobreposições de imagens e ilusões de óptica, ele narra a história de viajantes que, com ajuda de uma nave, chegam à Lua, e se deparam com canibais em um ambiente nada hospitaleiro.

a-trip-to-the-moon

Georges não possuía toda tecnologia disponível hoje em dia, mas sabia que o melhor efeito especial é aquele que não se percebe. Assim como ele, Freddie Wong, criador do canal RocketJump Film School, também acredita que os efeitos são parte fundamental pela magia e fascínio pela sétima arte. E, por esse motivo, Wong publicou um vídeo com alguns dos melhores efeitos especiais e seu processo de criação.

Conta pra gente qual seu filme preferido! ;D

Twitter
Instagram

Flickr

Henry Carroll na FAPCOM

Facebook